Valdemir Santana desafia governo sobre nova proposta de aposentadoria: “Onde tem trabalhador com mais de 60 anos trabalhando com carteira assinada nas empresas do PIM?”

ac37a18c71Em entrevista realizada nesta quarta-feira (29), ao programa de rádio A verdade do Trabalhador, transmitido pela FM do Povo 94,3 Mhz, de 5h às 6h, o presidente da Central Única dos Trabalhadores no Amazonas (CUT-AM), do Sindicato dos Metalúrgicos do Amazonas (Sindmetal-AM) e do Partido dos Trabalhadores do Amazonas (PT-AM), Valdemir Santana, desafiou o atual governo a divulgar o número de trabalhadores das empresas do Polo Industrial de Manaus (PIM) com mais de 60 anos.

O desafio, segundo o presidente das três entidades que representam o trabalhador no Estado, é para mostrar a injustiça do governo “golpista” e do Ministro da Fazenda, que insistem aumentar a idade de aposentadoria para 70 anos.

“Eu quero que o governo mostre, em números reais, onde tem trabalhador com mais de 60 anos trabalhando com carteira assinada nas empresas do PIM. Se existir mil pessoas trabalhando com 60 anos trabalhando eu quero ver.”, desafiou Santana.

De acordo com ele, a Central Única dos Trabalhadores (CUT) não esta participando do debate das centrais sindicais.

 

Dirigentes Sindicais do Sindmetal-AM continuam em Campanha Salarial nas empresas do PIM

IMG-20160627-WA0032

Os dirigentes sindicais do Sindicato dos Metalúrgicos do Amazonas (Sindmetal-AM) continuam a todo vapor na Campanha Salarial 2016. A meta, estipulada pelo presidente do Sindmetal-AM, Valdemir Santana, é que os diretores apresentem as propostas da campanha salarial aos trabalhadores em pelo menos dez empresas por semana.

Um total de 35 diretores do sindicato fazem a chamada Portas de Fábrica diariamente em dois horários, o primeiro a partir das 5h10min da manhã e o segundo a partir das 4h30min da tarde. Os sindicalistas já estiveram nas empresas Semp Toshiba, Eletrolux, Flex, Whirpool, Digitron, LG e PST.

IMG-20160627-WA0029

De acordo com Santana, uma das maiores reivindicações dos trabalhadores está com relação a recusa das empresas em pagar a PLR deste ano aos trabalhadores. Ele também destaca a questão da terceirização como uma das reclamações dos trabalhadores. “Estamos em um cenário de crise sim, mas não vamos abrir mão de nenhum direito dos trabalhadores. Para termos uma Campanha Salarial vitoriosa é necessário a participação de todos os trabalhadores”, enfatizou.

O presidente pede ainda que os trabalhadores parem e ouçam os dirigentes sindicais que estarão na entrada ou na saída da fábrica informando sobre o andamento das negociações.

IMG-20160627-WA0031

Confira a tabela da inflação para as negociações da Campanha Salarial 2016

mn

 

Mais médicos, revitalização do balneário e nova assessoria jurídica marcam os últimos 10 anos da administração do Sindmetal-AM

mosaicoA partir de 2003 o Sindicato dos Metalúrgicos do Amazonas (Sindmetal-AM) passou por mudanças significativas do ponto administrativo e político. Nos últimos dez anos, do ponto de vista administrativo, as mudanças aconteceram no mesmo ritmo do crescimento da categoria e em sintonia com as mudanças tecnológicas.

Fruto de um trabalho totalmente voltado para melhor atender os trabalhadores, a equipe do setor administrativo do Sindmetal-AM em conjunto com os funcionários da entidade continua, nesses dez anos, buscando oferecer uma estrutura física de qualidade e a excelência no atendimento para a categoria.

Nesse período, por identificar a demanda do acompanhamento médico dos trabalhadores por médicos Fisioterapeutas e Psicólogos, a administração competente do sindicato conseguiu incluir no convênio médico mais essas duas especialidades.

Em 2015, a reinauguração do Balneário do Metalúrgicos e a inauguração do Metaljur – nova estrutura para a Assessoria Jurídica do sindicato – foram um grande marco nesses últimos dez anos da administração do Sindmetal-AM.

Pensando no descanso e lazer do trabalhador e sua família, o Sindicato dos Metalúrgicos do Amazonas construiu um espaço ecologicamente correto. O local possui um lago e piscinas que são monitoradas por guardas-vidas e bombeiros. Quadra de vôlei, campos de futebol, apartamentos, chalés, chapéus de palha, mirantes, centro de convenções, enfermaria, berçário, restaurante, bar e estacionamento.

Veja o vídeo do Balneário dos Metalúrgicos

MetalJur – Ação Trabalhista Gratuita – O Sindicato na Defesa dos Trabalhadores

Com a inaugurado o Metaljur, uma estrutura física e operacional da Assessoria Jurídica do sindicato está a disposição do trabalhador. Um total de sete salas comportam 16 advogados, que são apoiados por um grupo de dez estagiários do curso de Direito.

O Metaljur atende os trabalhadores, sobretudo os demitidos, que recebem atendimento individual e coletivas e presta atendimento jurídico de causas trabalhistas do público em geral gratuitamente.

1000 trabalhadores

Nos últimos 12 meses, o Metaljur  entrou com 496 ações na Justiça do Trabalho. A maior parte dos processos são por doença ocupacional, com mais de 200 ações ajuizadas. O segundo maior tema é desvio de função. Nos casos de reintegração ao trabalho, algumas ações foram deferidas e já foram sentenciadas, faltando agora a execução das reintegrações dos trabalhadores demitidos. Outras ações também já foram deferidas em antecipação de tutela, estando os trabalhadores aguardando que o Oficial de Justiça os acompanhem até a empresa.

Segundo a Assessoria Jurídica, a nova estrutura permite maior rapidez dos serviços do sindicato e da Justiça do Trabalho. Atualmente o advogado é informado da data das audiências no momento em que protocola eletronicamente a ação. Este mesmo procedimento, há alguns anos atrás, era realizado em meses.

Terceira rodada de jogos do 12º Campeonato de Futebol de Campo Masculino do Sindmetal-AM acontece neste domingo (26)

SINDICATO v

Com entrada franca, os jogos da terceira rodada do do 12º Campeonato de Futebol de Campo Masculino do Sindmetal-AM acontecem no campo da baixada fluminense, localizado no bairro da Cidade Nova, a partir das 8 horas da manhã.

Antes dos jogos, os dirigentes sindicais estão fazendo uma reunião para falar com os trabalhadores sobre a Campanha Salarial 2016.

Veja algumas as equipes que se classificaram até agora:

NOVIDADE

As equipes que não se classificarem irão participar de um torneio no Balneário dos Metalúrgicos com direito a premiações. A data dos jogos está em fase de definição.

Trabalhadores da Moto Honda comemoram o valor de PLR para 2016

contabilidade39Mais um acordo de PLR foi fechado nesta quarta-feira, (26) para os trabalhadores do Amazonas. Os funcionários da Moto Honda ficaram satisfeitos com a negociação feita pela Comissão de PLR e pelos dirigentes sindicais do Sindicato dos Metalúrgicos do Amazonas (Sindmetal-AM).

De acordo com o dirigente sindical Sidney, a empresa insistia em pagar entre R$ 2.170,00 e R$ 2.550,00, mas, através da Comissão, do Sindicato e dos trabalhadores foi possível reverte a proposta da empresa e fechar a PLR no valor de R$ 3.100,00. “Conseguimos fechar uma PLR de qualidade para os trabalhadores. É assim que estamos injetando na economia do nosso estado mais de 25 milhões de reais”, destacou Sidney.

Sobre a Comissão de PLR

WhatsApp-Image-20160623Direito adquirido por lei, as negociações de PLR são feitas através da constituição de uma comissão de empregados integrada também por um representante indicado pelo sindicato. No entanto, quem tem voz nas negociações são os membros da Comissão, eleita pelos próprios trabalhadores.  O sindicato, por exemplo, não detém o monopólio da representação dos trabalhadores na negociação da PLR, mas é ele quem garante a legalidade e o fortalecimento do processo negocial.

 

 

Metalúrgicos do Amazonas vão receber mais de R$ 25 milhões

Sindicato dos Metalúrgicos do Amazonas
Valdemir Santana Presidente do Sindmetal-AM

De janeiro a maio de 2016, cerca de 60 empresas do Polo Industrial de Manaus (PIM) já fecharam os acordos de Participação dos Trabalhadores nos Lucros e Resultados das Empresas, injetando até agora cerca de R$ 25 milhões na economia do Estado.

Segundo o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos do Amazonas (Sindmetal-AM), Valdemir Santana, os acordos são negociados por uma Comissão de PLR, composta por empregados e representantes das empresas que são escolhidos por meio de uma eleição interna pelos trabalhadores. Após a escolha dos membros da comissão para negociação da PLR, as empresas encaminham um documento ao Sindmetal-AM para a participação de um membro da direção do sindicato, que conta com assessoria técnica do Departamento de Intersindical de Estatística e estudos Socioeconômicos (DIEESE).

Santana destaca que além de ter autonomia para negociar valores, a Comissão de PLR também deve fazer reuniões com os trabalhadores para discutir e decidir melhores propostas a serem negociadas. “Os acordos de PLR’s são garantidos e assegurados por lei, onde uma comissão é formada para negociar com a empresa e manter os trabalhadores informados sobre o andamento das negociações”, explicou o presidente.

O presidente avalia que algumas empresas não querem pagar a PLR aos trabalhadores, tornando as negociações difíceis. Até o final de julho, mais 130 empresas deverão fechar os acordos de PLR’s. Em 2015, 172 empresas do PIM injetaram aproximadamente R$ 145 milhões na economia do Estado. “Mesmo nesse momento de crise, estamos otimistas em nossas negociações e focados em conseguir os melhores acordos de PLR’s para os trabalhadores”, concluiu Santana.

ACORDOS NAS EMPRESAS YAMAHA E LG

Sobre os acordos de PLR das empresas Yamaha e LG, Santana informou que as empresas já estão em fase de conclusão. “Na LG temos quatro dirigentes sindicais e na Yamaha três dirigentes sindicais acompanham as negociações”.

Metalúrgicos debatem protagonismo dos representantes dos trabalhadores na política

image

Nesta terça-feira (14), os Coletivos Nacionais de Mulheres, Igualdade Racial, Formação, Juventude e Saúde da Confederação Nacional dos Metalúrgicos da CUT (CNM/CUT) se reuniram para o último encontro do ano e discutiram estratégias de atuação articulada da categoria metalúrgica nas eleições municipais que acontecem em outubro.

A atividade, que acontece no Instituto Cajamar (SP) e se estende até quinta-feira (16), reúne um grupo de 50 pessoas, composto por representantes das federações e sindicatos de bases estaduais.

A mesa de debate teve a participação de Jandyra Uehara, secretária de Políticas Sociais e Direitos Humanos da CUT, e de Rosi Matos, ex-diretora da CNM/CUT e vereadora do PT em Manaus. O secretário de Saúde da CNM/CUT, Ricardo Ferreira, mediou o debate.

Jandyra fez uma análise de conjuntura política e destacou a necessidade de diálogo com toda a sociedade por parte dos candidatos que representam os direitos dos trabalhadores, nas eleições deste ano  que escolherão prefeitos e vereadores. “Será uma eleição extremamente difícil porque as questões no governo federal vão refletir nas eleições do fim do ano. Os nossos candidatos terão que ter a capacidade de fazer o debate nacional em sua campanha. Com um diálogo politizado com a população iremos ter importantes vitórias políticas pelo país”, afirmou.

image (1)
Rosi (microfone), Ricardo Ferreira e Jandyra na mesa de sobre representação política dos trabalhadores

A dirigente também criticou o governo golpista ilegítimo de Michel Temer, que propõe medidas amargas para a população. “Este golpe não é contra a Dilma ou contra o PT, mas contra toda a classe trabalhadora. Este retrocesso político e econômico está acompanhado de ataquea aos direitos básicos, como a saúde e educação”, avaliou.

Já Rosi apresentou sua trajetória de vida até conquistar o cargo como vereadora de Manaus (AM) pelo Partido dos Trabalhadores, em 2012. A sindicalista destacou-se nas lutas da categoria principalmente pelo direito à creche para as crianças e a participação nos lucros e resultados aos trabalhadores do Polo Industrial de Manaus (PIM). “Cheguei até aqui por conta da união dos trabalhadores da cidade. Precisamos ter representatividade na política para colocarmos nossa pauta em destaque e assim conquistar e fortalecer nossos direitos”, disse.

Outra bandeira de luta defendida pela ex-sindicalista são os direitos das mulheres no mundo do trabalho e na sociedade. “Eu fui a primeira mulher metalúrgica que se elegeu como vereadora. Hoje, minha atuação é direcionada às mulheres, porque sei das dificuldades que temos para ocupar e ser protagonista nos espaços de poder. Este empoderamento feminino é necessário para que toda a sociedade seja realmente representada”, finalizou.

Nos próximos dias, os coletivos irão discutir suas demandas específicas separadamente.

Abertura
Pela manhã, o encontro foi aberto pelo presidente da CNM/CUT, Paulo Cayres, e pelos secretários da Confederação Marli Melo (Mulheres), Christiane dos Santos (Igualdade Racial), Ricardo Ferreira (Saúde), Silvio Ferreira (Juventude) e Michelle Marques (Formação).

Para Marli, o encontro é um momento importante para debater a atual conjuntura política brasileira. “Temos uma secretária de Mulheres no governo ilegítimo e golpista que não nos representa, e muito menos, este presidente”, disse.

“Este governo não tem representatividade de mulheres, negros e jovens. Aqui temos um grupo de dirigentes comprometidos com a luta, com a organização dos trabalhadores. Temos que sair deste encontro mais fortes para a luta em defesa dos nossos direitos”, completou Christiane.

Já Ricardo destacou a importância do tema saúde no mundo do trabalho e em toda a sociedade. “A saúde será a primeira vítima deste governo golpista. O SUS (Sistema Único de Saúde), que foi uma conquista para todos os brasileiros, pode ser extinto. Eles querem precarizar as condições mínimas de vida”, contou.

Em sua intervenção, Silvio afirmou que após o golpe a classe trabalhadora vive um dos momentos mais difíceis. “Com a vigência de um governo golpista temos desafios que este grupo deve enfrentar junto com os trabalhadores da base. Nestes dias, vamos discutir as pautas da classe trabalhadora para encarar os golpistas”, disse.

“Por isso, a formação será importante para enfrentar este momento. Precisamos aprofundar algumas questões políticas para esclarecer os trabalhadores da base sobre a atual conjuntura política”, completou Michelle.

Cayres finalizou destacando o acirramento da luta de classes a partir da eleição do ex-presidente Lula. “Hoje, os desafios dos sindicalistas são muito maiores. A direita conservadora e privilegiada tenta nos destruir pelos nossos acertos. Incluímos 40 milhões de pessoas na sociedade, os negros ocuparam as universidades, as domésticas passaram a ter direitos e os pobres passaram a estar em espaços que antes eram apenas para ricos”, lembrou, ressaltando o papel das lideranças sindicais para conscientizar os trabalhadores sobre o retrocesso que os golpistas querem impor ao Brasil.

Fonte: Shayane Servilha – Assessoria de Imprensa da CNM/CUT

Primeiros jogos do Campeonato de Futebol de Campo Masculino acontecem no domingo (12)

Imagem1Os times das empresas Honda, Universal, Beconal, Nissin Break, Erin, Digitron, Whirlpool, Unicoba, Mec e Bic farão a abertura, neste domingo (12), a partir das 8h00 da manhã, dos jogos do 12º Campeonato de Futebol de Campo Masculino do Sindicato dos Metalúrgicos do Amazonas (Sindmetal-AM).

Com entrada franca, os jogos acontecem no campo da baixada fluminense, localizado no bairro da Cidade Nova.

Veja quem joga a partir das 8 horas deste domingo:

1º Honda Bruno x Universal Fitnes

2º Unidos da C1 Beconal x Nissin Break

3º Erin SH  x Digitron

4º Whirlpool x Unicoba

5º Mec Manutenção x Bic da Amazônia

No dia 19 de junho, no mesmo local, os próximos times a se enfrentarem são:

1º Elgin x OAC FC

2º Yamaha Tampico x Carrie

3º Carboquímica x Showa

4º Grupo TPV x Alta Fusão Honda

5º Salcomp A x Aços da Amazônia

Dirigentes sindicais do Sindmetal-AM participam de curso de Concepção e Prática Sindical

20131018_092643Com o objetivo de ficarem mais preparados para melhor representar a categoria e a sociedade, os dirigentes sindicais do Sindicato dos Metalúrgicos do Amazonas (Sindmetal-AM) participam no sábado (11), do curso de Concepção e Prática Sindical.

Realizado pela Secretaria de Formação do Sindmetal-AM, a abertura do curso será às 9h00 da com uma apresentação do Grupo de Raças do PT, no auditório do sindicato, com previsão de término às 18h00.

Segundo a Secretária de Formação, Dulce Sena, participam do evento cerca de 60 pessoas, entre sindicalistas de vários sindicatos, representantes do coletivo raças e juventude do PT e representantes da Central Única dos Trabalhadores (CUT).

Sena destacou que o curso tem um papel fundamental nesse momento, no sentido de unificar os sindicatos e os movimentos sociais, além de ser um encontro de definição das diretrizes a serem levadas para o encontro nacional de Concepção e Prática Sindical. “Vamos discurtir as questões transversais, principalmente porque percebemos uma necessidade de aproximação maior entre os sindicatos, os movimentos sociais e cutista”.