Síntese Historiográfica do Sindicato dos Metalúrgicos do Amazonas

Primeira Fase

1. Instalação: 17 de agosto de 1933.

2. Reconhecido: 10 de outubro de 1934.

3. Assinatura da Carta Sindical: 04 de agosto de 1953.

Segunda Fase

1. Organização da oposição sindical Mutirão, 1980 (�?lson Melo, Ricardo Moraes, Jaques Castro, Simão Pessoa, José Carlos Marinho, Jonaci, Chico Fera, Gordo, Silvestre, Elias Sereno, Nilton Mazulo, Ana, Rosenilda, Antônia Priante, Manoel Ramalho, Cleide Mota).

2. Caráter frentista de apoio à chapa pró-CUT Mutirão: Apoio de vários partidos políticos, personalidades e entidades que apoiavam a oposição sindical (Pastoral Operária, Partido dos Trabalhadores, PCdoB, Cúria Metropolitana, Arcebispo Dom Milton, ADUA e ASSUA (professores e servidores da Universidade Federal do Amazonas, UESA, DU, militantes do movimento estudantil e social, Sindicato dos Assistentes Sociais). Personalidade que marcou um diferencial: Padre Renato.

3. 1981 Luta pela consolidação da meia passagem. Movimento que culminou com enfrentamento de ativistas, militantes, estudantes e sindicalistas contra policiais e organismos de repressão no largo da Praça da Matriz.

4. 1983 – I CECLAT Congresso Estadual da Classe Trabalhadora Am (Pró Fundação da CUT)

5. 1983 Julgamento de Luiz Inácio (LULA) e José Francisco pelo Tribunal Militar em Manaus.

6. 1983 Fundação da Central �?nica dos Trabalhadores – CUT Brasil (agosto).

7. 1983 Dez/83 a Fev/84 – Eleição da chapa cutista Mutirão.

8. 1984 Posse da diretoria Mutirão (presidente Ricardo de Souza Moraes).

9. 1984 Tentativa de divisão da categoria através do processo de criação do Sindicato Eletro-Eletrônico (comandado pelo Sr. Stones Machado – Philips).

10. 1984 Campanha das Diretas Já. Ato em Manaus reúne 20.000 pessoas na Praça do Congresso.

11. 1984 I CECUT Congresso Estadual da CUT-AM.

12. 1985 Primeira greve sob a gestão cutista desencadeada pelos trabalhdores da SANYO(Abril). Principais lideranças: Enoque, Lacerda, Mário Barros.

13. 1985 Eleição do Presidente Tancredo Neves no Colégio Eleitoral.

14. 1985 Primeira greve sob a gestão cutista dos trabalhadores da Sanyo (abril).

15. 1985 Primeira Campanha Salarial e primeira Greve Geral. Principais características do movimento grevista: precedido de organização nos locais de trabalho; formado por dezenas de grupos de fábrica; assembléia massiva de deflagração da greve (10 mil trabalhadores); o movimento atingiu 24 empresas e paralizou cerca de 20 mil trabalhadores;

Principais conquistas: conquista histórica devida primeira paralização em massa de trabalhadores na Zona Franca de Manaus; conquista da CCT; ganhos econômico-salariais, sociais e de organização sindical.

16. 1986 Fim da tentativa de divisão do sindicato com parecer favorável da Justiça do Trabalho em Brasília.

17. 1986 Criação da Comissão da Mulher Metalúrgica Secção do Amazonas.

18. 1986 Campanha Salarial “Vamos quebrar o gelo”: derrota histórica do movimento grevista (3 mil trabalhadores demitidos por justa causa).

19. 1986 Eleição da 2 diretoria cutista (reeleição de Ricardo Moraes).

20. 1987 Refluxo do movimento sindical metalúrgico e avanço dos seguimentos patronais com retiradas de conquistas.

21. 1987 Greve da Moto Honda, julgada legal.

22. 1988 Retorno das lutas na categoria (Yamaha, Moto Honda, outras).

23. 1988 Candidato operário obtém a maior votação dada a um operário em eleição à CMMM. Sendo, ao mesmo tempo a segunda maior votação na eleição para vereador(1988). Não assume devido falta de legenda partidária (Ricardo Moraes).

24. 1989 Greve geral nacional contra o Plano Verão do governo Sarney: paralização parcial do Distrito Industrial.

25. 1989 I Greve Geral nos Estaleiros obtém várias conquistas.

26. 1989 I Congresso dos Metalúrgicos de Manaus.

27. 1989 Campanha Lula a presidente.

28. 1989 Eleição da terceira diretoria cutista (presidente Elson Melo).

29. 1990 Início do governo Collor, cenário recessivo com demissões na categoria contradizendo o nível de lucratividade do pólo industrial.

30. 1990 Greves contra o Plano Collor: A primeira fase, em abril, paralizou 9 empresas. Destacou-se a greve da PHILIPS – 42 dias de paralização. Na segunda fase, Greve Geral em primeiro de agosto, paralizando cerca de 25 mil trabalhadores e conquistando 204% de reajuste concedido em julgamento favorável da greve pelo TRT.

31. 1990 Eleição de Ricardo Moraes como primeiro deputado federal operário do Amazonas (18.700 votos).

32. 1991 Aprofunda-se a recessão econômica com o aumento das demissões no PIM.

33. 1992 Afastamento do presidente Elson e da tesoureira Maria Auxiliadora.

34. 1992 Intervenção Política no Sindicato. Comissão interventora presidida por Edilon Queiroz assume interinamente o sindicato.

35. 1992 Eleição da quarta diretoria cutista (presidente Joaquim Lucena).

36. 1992 Nova tentativa de divisão do Sindicato: Elias Sereno funda o Sindicato Eletro-eletrônico.

37. 1993 Luta contra a maquiagem e o contrabando de produtos na Zona Franca de Manaus. Resultado: criação do PPB (Processo Produtivo Básico) para as indústrias da Zona Franca de Manaus.

38. 1994 Campanha presidencial Lula Brasil.

39. 1995 Criação do Sindicato de Meios Magnéticos.

40. 1995 Eleição da quinta diretoria cutista no II Congresso dos Metalúrgicos (reeleição de Joaquim Lucena).

41. 1996 Eleição do vereador Joaquim Lucena à Câmara Municipal de Manaus.

42. 1997 Posse de Washington Luis devido licenciamento de Joaquim Lucena.

43. 1997 Campanha Limite de Idade é Crime, contra a discriminação por idade para contratação de trabalhadores.

44. 1998 Campanha presidencial Lula é Brasil.

45. 1998 Campanha contra o Câncer de Colo do �?tero.

46. 1998 Fundação do IEP.

47. 1999 Início do Projeto Integrar/CNM

48. 1999 Edilson Pinheiro assume a presidência do Sindicato

49. 1999 Eleição da sexta diretoria cutista Renovação e Luta (presidente Agostinho Correa).

50. 2000 Fundação da banda das Metalúrgicas.

51. 2000 Tentativa de Divisão da Categoria com a Criação dos Sindicatos Eletroeletrônicos e do Pólo de Duas Rodas.

52. 2001 Fusão com o sindicato de Meios Magnéticos e prorrogação do mandato da diretoria em mais 12 meses.

53. 2001 Greve da Videolar, Scorpion, Sansung e SDI precederam a Campanha Salarial vitoriosa.

54. 2001 Primeiro Campeonato de Futebol dos Metalúrgicos.

55. 2001 Piquetão da Campanha Salarial na Av. Javari (Moto Honda e outras empresas)

56. 2002 Resgate da credibilidade do Sindicato; elevação do nível de associados da categoria.

57. 2002 Início da luta pela Participação nos Lucros e Resultados.

58. 2002 Instalação do Comitê Metalúrgico Lula Presidente.

59. 2002 Eleição de Luiz Inácio Lula da Silva à Presidência da República.

60. 2003 Apoio à “Invasão e Ocupação” da Câmara Municipal de Manaus pelos estudantes em luta pela passagem.

61. 2003 Piquetão pelo PLR na Av. Javari (Moto Honda e outras empresas). Eleição de Valdemir Santana como presidente da CUT-AM.

62. 2003 Aniversário de 50 Anos de fundação do Sindicato dos Metalúrgicos.

63. 2003 Campanha de reeleição de Agostinho Corrêa anulada pela Justiça.

64. 2003 Afastamento do Presidente Agostinho Corrêa pela Justiça (o primeiro de 4 afastamentos judiciais).

65. 2004 Campanha Salarial marcada pela divisão e disputa judicial da diretoria.

66. 2004 Retorno de lideranças sindicaisn ao PT.

67. 2005 Congresso de Eleição da sétima diretoria cutista no III Congresso dos Metalúrgicos (Valdemir Santana – Presidente)

68. 2005 Intervenção da Junta Governativa pela Justiça do Trabalho.

69. 2005 Ampliação da cconquista de PLR nas empresas.

70. 2006 Dissolução da Junta Governativa por decisão do TRT. Reeleição de Valdemir Santana como presidente da CUT-AM.

71. 2006 Ampliação de conquistas nas campanhas Salarial e de PLR.

72. 2006 Participação decisiva de dirigentes sindicais nas eleições gerais.

73. 2006 Reeleição do Presidente Lula e candidatos da base aliada apoiada pelas lideranças sindicais.

74. 2007 PLR: distribuição de 60 milhões de reais para 44 mil industriários.

75. 2007 Movimento Sindical e Popular assumem a Secretaria de Estado do Trabalho – SETRAB.

76. 2007 Eleição de Valdemir Santana como presidente municipal do PT Manaus.

77. 2008 Eleição direta da Chapa Lutas e Conquistas. Valdemir Santana – oitavo Presidente Cutista.

78. 2008 Campanha Salarial vitoriosa: 10% de reajuste, ampliação da creche, extensão do plano de saúde aos dependentes de trabalhadores.

79. 2008 Lançamento do Site do Sindicato dos Metalúrgicos.