Suspensão de contrato de trabalho feito incorretamente, carga horária de trabalho irregular, não tem ambulância, não tem assistência médica para todos trabalhadores, não pagam a PLR (Participação nos Lucros e Resultados) corretamente, os trabalhadores fazem hora extra, é colocado no banco de horas e não recebem, não tem creche para os (as) filhos (as) dos (as) Trabalhadores (as), e assim é o dia a dia dos trabalhadores em pelo menos 12 empresas no cenário industrial amazonense.

P&G uma das maiores empresas do mundo em descartáveis, ainda continua o massacre em cima da classe trabalhadora aqui no estado do Amazonas, 50% da empresa é terceirizada, ganha 1 salário mínimo sem direitos trabalhistas, sem a fiscalização da Suframa, o Sindicato dos Metalúrgicos do Amazonas foi informado que a empresa não cumpre com a Convenção Coletiva de Trabalho, o sindicato se coloca como defensor dos trabalhadores da P&G, que troca os funcionários de regime integral por mão de obra temporária e terceirizada irregularmente, essa é a infeliz realidade na empresa P&G (antiga Gilette).

Na empresa Elgin, tem um gerente insano mandando fazer a revista no momento da jornada de folga do trabalhador, fazendo o trabalhador perder meia hora, a que ele tem direito, a revista tem que ser feita no horário da jornada de trabalho da empresa. Os trabalhadores estão sendo desrespeitados, com mão-de-obra irregular, carga horária errada, contrato de trabalho irregular, banco de horas sem acordo com o Sindicato, totalmente irregular a a empresa Elgin.

 

Veja a lista:

  1. BMW
  2. FLEXTRONICS
  3. IFER
  4. J. TOLEDO (SUZUKI)
  5. LG
  6. MIDEA (CLIMAZON)
  7. PIONEER
  8. POSITIVO
  9. UNICOBA
  10. ELCOA
  11. P&G (ANTIGA GILETTE)
  12. ELGIN

Trabalhar nas piores empresas, é um desafio diário, mas você trabalhador pode mudar esse cenário, DENUNCIE!

Não se acostume com a empresa tóxica!

Trabalhador! Fique atento aos seus direitos e se não forem respeitados, DENUNCIE ao SINDMETAL-AM, o sindicato da categoria metalúrgica!