A CUT AMAZONAS, realizou uma programação para o 1° DE MAIO deste ano, com as seguintes pautas: “Resistência, Luta e Solidariedade das Trabalhadoras e Trabalhadores do Estado do Amazonas” em meio a pandemia na COVID-19, as perdas de postos de emprego no Estado em meio as retiradas de incentivos fiscais da Zona Franca de Manaus, defesa do Auxílio Emergencial de R$ 600; Vacinação para Todos e Todas; contra a Reforma Administrativa e as Privatizações e o #forabolsonaro.

O governo desprezou a pandemia e a crise em todo o país. O Brasil perdeu cerca de 400 mil pessoas para esse vírus, no Amazonas vivemos uma tragédia por falta de oxigênio, um governo que não comprou vacina para todos, a população sofre com a falta de leitos, oxigênios e remédios nas UTIs, a cada dia os trabalhadores não conseguem comprar uma cesta básica devido aos altos preços dos alimentos em todo o Brasil, o preço do gás de cozinha e combustível, tem reajuste a cada semana, o povo está amargando a volta da fome e da miséria, tudo isso por falta de políticas públicas e ações desse #governogenocida.

1° de Maio de “Resistência Luta e Solidariedade”

As atividades do Dia do Trabalhador e da Trabalhadora contarão com um ato político, unificado construído com movimentos populares, movimento por moradia, as frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo, entre outras entidades movimentos que não integram as frentes, mas compõem a luta.

A programação inclui também a organização e a distribuição de cesta básica na manhã do Dia 1° de Maio em Manaus, e nos municípios da região metropolitana.

Solidariedade

Mais uma vez, a CUT Amazonas, juntamente com seus sindicatos filiados e federações, promovem ações de solidariedade para arrecadação de alimentos não perecíveis a serem entregues para entidades que desenvolvem trabalhos sociais na capital e nas regiões metropolitanas.

O objetivo é que as entidades organizem a distribuição das cestas básicas as famílias em situação de vulnerabilidade social de cada região no final do ato do Dia 1° de Maio.

“Este 1° de Maio será mais uma oportunidade para a classe trabalhadora, e a militância dos movimentos populares reforçarem a importância da solidariedade com as famílias que mais precisam de ajuda neste momento, pois a fome não espera”.

Comida no prato, vacina no braço. #1MPelaVida

#ForaBolsonaro

1° de Maio,

CUT – AMAZONAS

 

Fonte: Blog – O Índio de Esquerda