Há 89 anos, o Sindicato dos Metalúrgicos do Amazonas (Sindmetal-AM), no dia 17 de agosto de 1933, iniciou uma trajetória vitoriosa em defesa dos direitos dos trabalhadores do estado do Amazonas. Ao longo destas quase nove décadas de história, a entidade se destacou na luta para garantir e ampliar conquistas para a categoria e para os demais trabalhadores amazonenses.

Durante esses anos e até hoje, foram muitas histórias de divergências com os patrões, mas a postura do Sindmetal-AM diante da classe operária sempre foi na luta por seus direitos trabalhistas, um reflexo direto das transformações no mundo do trabalho, ligadas ao sistema econômico de produção, que tem passado por profundas transformações de natureza econômica, social, política e institucional.

Desde a sua criação, em 1933, o Sindicato resistiu aos contratempos e comandou várias frentes de resistência em defesa do trabalhador amazonense, vivenciando e vencendo muitas lutas, representando e defendendo os trabalhadores do Polo Industrial de Manaus (PIM) e tornando o maior sindicato da região Norte do Brasil.

Destacamos grandes vitórias para os trabalhadores ao longo destes anos, dentre elas, a luta pela meia passagem, a licença maternidade de 120 dias para as trabalhadoras do Amazonas, a criação do Instituto de Educação Profissional do Sindicato que qualificou milhares de trabalhadores.

E, uma das mais significativas conquistas, gira em torno da participação dos trabalhadores nos Lucros e Resultados (PLR), esses acordos são firmados entre as empresas e a comissão de trabalhadores com a atuação do Sindmetal-AM, e, com a adesão de mais empresas a cada ano que passa, refletindo no aumento da economia do estado.

Fazendo um balanço dos fatos marcantes da atuação dos dirigentes sindicais do Sindmetal-AM em defesa dos direitos dos trabalhadores do Amazonas, destacamos as principais vitórias conquistadas ao longo dessas oito décadas:

  • Luta pela meia passagem;
  • Paralisações das empresas do PIM que garantiu ganhos econômico-salariais, sociais e de organização sindical para os trabalhadores;
  • Licença maternidade de 120 dias para as trabalhadoras do Amazonas, antes mesmo da Constituição Federal garantir o direito em nível nacional;
  • Greve geral, paralisando cerca de 25 mil trabalhadores e conquistando 24% de reajuste salarial concedido em julgamento favorável da greve pelo Tribunal Regional do Trabalho (TRT);
  • Criação do Instituto de Educação Profissional do sindicato, que qualificou milhares de trabalhadores;
  • Há 20 anos, em 2002, o sindicato iniciou a luta pela participação dos trabalhadores nos Lucros e Resultados (PLR) das empresas. De lá pra cá, o Sindmetal-AM consegue, a cada ano, a adesão de mais empresas pela PLR e com isso, aumentar a economia do estado;
  • A Campanha Salarial de grandes vitórias como: reajuste de 10% no salário dos trabalhadores, ampliação da creche e a extensão do plano de saúde aos dependentes dos trabalhadores;
  • Revitalização do Clube dos Metalúrgicos, lugar de lazer e diversão para o trabalhador amazonense.

Hoje, a frente do Sindmetal-AM, na presidência, Valdemir Santana, ressalta que “no atual cenário político, e a atuação deste desgoverno com constantes ameaças aos direitos dos trabalhadores e às conquistas sociais do povo brasileiro, tem levado mais uma vez o Sindicato a  reafirmar sua tradição de resistência, e reforça seu papel de defensor do trabalhador para combater todos e quaisquer retrocessos, pois são 89 anos de lutas, conquistas e vitórias que devem ser comemorados por todos nós, trabalhadores e trabalhadoras do Polo Industrial de Manaus”.