Os diretores, trabalhadores e funcionários do Sindicato dos Metalúrgicos do Amazonas, foram às ruas, junto com milhares de estudantes e populares, para manifestar sua indignação contra os desmandos, as ações estapafúrdias, a corrupção, a falta de respostas para as reivindicações dos trabalhadores junto aos órgãos competentes, a rodovia BR-319 que liga Manaus a Porto Velho, que vem baratear os custos da alimentação e de produtos vendidos no Amazonas e outras reivindicações que a anos não tem respostas.

Mais que palavras, vamos publicar fotos, em vez de textos, para mostrar a movimentação organizada, pacífica e historicamente volumosa.

A Polícia Militar andou junta com os manifestantes, sem ter que intervir em nenhum momento. O preço da gasolina, a saída do secretário de cultura, Robério Braga, o preço da passagem de ônibus, qualidade dos transportes urbanos, custo da cesta básica, foram alguns dos dizeres dos cartazes vistos ao longo da caminhada.

O único incidente aconteceu com moradores do bairro da Compensa, Zona Oeste, aproveitando a manifestação dos estudantes, incendiaram um ônibus da Vega Transportes, em sinal de protesto pela demora do coletivo.

O ônibus foi queimado por moradores, e não por manifestantes, na frente da prefeitura de Manaus, na Avenida Brasil. Os manifestantes chegaram por volta das 18hs, em número bem menor do que o registrado nas avenidas Eduardo Ribeiro e Getulio Vargas, Centro, onde a Polícia Militar chegou a anunciar próximo de 50 mil manifestantes.