De todas as categorias profissionais uma das que mais sofreu toda sorte de ataque nos últimos anos, conforme os meios de comunicação, foi a dos professores. Nos dias de hoje uma parcela da sociedade parece ter optado por valorizar a ignorância, desprezando o sacrifício de homens e mulheres que se dedicam a fazer a sociedade crescer.

Em muitas manchetes nos jornais ou reportagens nas televisões vimos professores sendo agredidos por alunos, por pais de alunos, pelo fato de levar a sério o trabalho em sala de aula.  Além da labuta diária, dos afazeres que não são poucos dentro e fora da escola para bem desempenhar sua atividade, o professor sofre ainda o desprezo do próprio Estado, seja pela baixa remuneração, seja pelas precárias condições de trabalho e insegurança no ambiente escolar.

Some-se a isso o descaso para com a saúde. Não tem como não considerar criminosa a ânsia dos governantes e forçar que professores e alunos desafiem o momento de pandemia – para a qual os órgãos governamentais têm se mostrado pouco eficientes. Há estudos indicando que professores apresentam alto grau de síndrome do pânico em função da atividade que exercem. Mas o Estado também não tem política para combater esse mal.

Professoras e professores são maltratados pelos governos municipal, estadual e federal, quando não é com violência psicológica, é com violência física, com a repressão policial agredindo e ferindo esses profissionais em manifestações e greves.

Os governantes cometem, assim, atrocidades de toda ordem, pois ao menosprezar a categoria está condenando a sociedade e o país ao atraso, à ignorância, ao subdesenvolvimento. Países desenvolvidos só chegaram a esse estágio investindo em educação, na formação técnica e humanística de seus professores em todos os níveis.

Apesar de todas essas tormentas, professoras e professores continuam a lida diária, buscando preparar as novas gerações para um futuro melhor, para uma humanidade mais solidária e fraterna.  Simplesmente por isso é impossível imaginar um mundo sem professoras e sem professores.

Nesta ocasião fica a nossa homenagem a todas essas mulheres e homens que nos mostraram o caminho da vida e continuam essa jornada com nossos filhos e filhas. O compromisso da CUT e sindicatos filiados é de lutar pela valorização das professoras e professores e elevação da qualidade do ensino, do fundamental ao superior.

Parabéns pelo dia do (a) Professor (a)!

 

CENTRAL ÚNICA DOS TRABALHADORES

Valdemir Santana

Presidente