Empresas Transire Eletrônicos, Positivo e LG da Amazônia resolveram atropelar a Medida Provisória (MP) 927, publicada pelo Governo Federal, que previa a suspensão de quatro meses de salário do trabalhador durante a pandemia de coronavírus, mas transformada para Compensação de Horas logo após saraivada de críticas por todo o Brasil.

As três empresas, que tem aproximadamente 400 trabalhadores com problema de saúde, resolveram aplicar a MP 927 no lugar do atestado médico.

A Positivo transformando atestado médico em banco de horas – foto: arquivo Sindicato

Ou seja, estão colocando trabalhadores doentes com atestado médico no Banco de Horas para tirar proveito do estado de calamidade pública em função da pandemia do coronavírus.

Sindicato dos Metalúrgicos

O agravante maior, segundo o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos do Amazonas (Sindmetal), Valdemir Santana, é que as empresas não estão aceitando o direcionamento e nem consultando o Sindicato e, continuam cometendo as irregularidades à vista de todos.

Nesse sentido, a direção do Sindmetal vai fazer um comunicado à Vigilância Sanitária e ao Ministério do Trabalho apontando as irregularidades e má fé das três empresas e pedindo a fiscalização aos órgãos competentes.

A direção do sindicato afirmou ainda que vai aguardar as atividades voltarem ao normal, no parque industrial de Manaus, para tomar uma posição junto às empresas.

“Nesse momento, estamos orientando os trabalhadores a não assinar nenhum documento”, afirmou o presidente da categoria Valdemir Santana.

Fonte: Correio da Amazônia