Chapa de oposição cutista retomou o Sindicato para a categoria metalúrgica. A mudança sindical para os metalúrgicos sul-mato-grossenses chegou pela força da indignação dos trabalhadores.

Duas chapas disputaram as eleições do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e Materiais Elétricos de Campo Grande e Região (Stimmmems). A chapa 1 “Ação na luta”, ligada à Força Sindical e a Chapa 2 apoiada pela CUT e pela Confederação Nacional dos Metalúrgicos.

A direção do Stimmmems tem como novo presidente eleito, o metalúrgico Robson Willian, de Campo Grande, membro da Chapa 2.

A Justiça do Trabalho garantiu a participação de todos os metalúrgicos na eleição sindical que ocorreu debaixo de chuva e frio na capital sul-mato-grossense. Caso contrário, apenas 200 trabalhadores poderiam votar.

Participaram do pleito, os metalúrgicos de Campo Grande, Três Lagoas e Corumbá que elegeram sua nova direção.

A Chapa cutista ganhou o apoio da categoria, por conta das propostas contidas em seu plano de trabalho. Lutar por melhores salários e condições de trabalho, o fim do banco de horas e qualquer outra compensação do gênero, prestação regular de contas aos associados, além de acionar na Justiça as empresas que se recusarem a pagar os adicionais de insalubridade ou periculosidade, estão entre as principais propostas.

Para Genilson Duarte, presidente eleito da CUT-MS, “esta é mais uma vitória dos trabalhadores, eles queriam mudança e manifestaram isso através do voto. Com todas as dificuldades o trabalhador veio votar, mesmo sendo um dia chuvoso”.

O dirigente afirmou também que esta eleição é “estratégica para a CUT, este setor será muito importante para a defesa dos interesses dos trabalhadores e para o fortalecimento da nossa central, o grupo que dirigia a entidade estava há mais de 20 anos no poder”.

Robson Willian, opresidente eleito comentou as eleições do Stimmmems “a eleição para nós começou difícil, mas graças a CUT estadual e a CUT nacional, que nos acompanharam e nos orientaram durante todo o processo saímos vitoriosos. Há mais de 20 anos esse sindicato era dirigido pelo mesmo grupo pelego”. (CUT-MT)