12565481_945071422244799_8048259547314460688_nCom a presença de representantes de sindicatos, centrais sindicais, empresas, da Suframa e de lideranças políticas, tomou posse no dia 24 de janeiro, no auditório do Senai, a diretoria eleita em novembro do ano passado.

“Os (dirigentes) novatos terão a responsabilidade de levar adiante as conquistas até aqui alcançadas”. Este foi o recado do presidente Valdemir Santana aos diretores empossados.

Santana destacou a pluralidade de ideais entre os membros da direção enfatizando que na diretoria estão representados trabalhadores da CUT, Força Sindical e CTB, “Nõs não queremos exclusividade. Queremos companheiros que defendam os trabalhadores”, disse.

Retomando a história de lutas do Sindicato dos Metalúrgicos, Santana lembrou que antes de 1988, quando as trabalhadoras ficavam grávidas, eram demitidas.

“Antes da Constituição, na primeira greve deflagrada no Distrito Industrial, conquistamos a licença maternidade de 120 dias”, recorda Santana, acrescentando que “o único sindicato que tem creche ate os seis anos de idade é o nosso”.

O presidente do Sindicato pontuou também que no ano passado a categoria conquistou um por cento de aumento real e isso representou mais de 400 milhões na economia local.

As negociações de PLR somaram R$ 250 milhões em 170 das mais de 700 fábricas do Polo Industrial de Manaus (PIM).

Por fim, Valdemir Santana reafirmou a luta pela melhoria da saúde, condições de trabalho e alimentação. “Todo ano vai aumentando o exército de trabalhadores e trabalhadoras doentes. As empresa mandam os doentes para o Governo Federal tratar mas nós vamos lutar para que  coloquem postos de trabalho decentes”, enfatizou o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos.

Conforme determinação estatutária, o  mandato da gestão atual se encerrará em 2020.