Por enquanto, o Polo Eletroeletrônico não entrará de férias

10 de Julho de 2012 – Por falta de insumos nas linhas de montagens, quatro fábricas do Polo Industrial de Manaus – PIM estão paradas desde a última semana e próximo de 8 mil trabalhadores estão de férias remuneradas, em função da greve dos auditores fiscais da Receita Federal. Os insumos, que deveriam ser manufaturados estão parados no porto e no aeroporto de Manaus e sem previsão de serem liberados.
A direção do Sindicato dos Metalúrgicos, informa que os funcionários dessas fábricas não terão prejuízos de salário e de posto de trabalho e que muitos deles passarão até 50 dias de férias e folga remunerada. Embora o presidente do Cieam (Centro das Indústrias do Amazonas), Wilson Périco, tenha divulgado em um jornal local de que as quatro fábricas sejam do polo eletroeletrônico, o diretor sindical Franciney Mendes, garantiu que as férias e folgas remuneradas estejam restritas ao polo de duas rodas, especificamente.
Franciney, no entanto, não descarta a possibilidade de outras fábricas tomem o mesmo caminho, uma vez que, a greve dos auditores fiscais está longe de ter uma solução negociável. Ele não quis adiantar quais as fábricas que estão prestes a dar férias ou folga remunerada para os seus funcionários. Mendes está nas portas de fábricas todos os dias e tem o termômetro capaz de medir a temperatura das decisões no interior das fábricas.
Independente do quadro sombrio que algumas instituições estejam pregando e a informação de que outras cinco fábricas entrarão de férias nas próximas semanas, não é motivo para pânico. Segundo o presidente dos Metalúrgicos, Valdemir Santana, o mercado está aquecido e, em breve, as fábricas terão que repor os estoques nas prateleiras das lojas. Valdemir disse que está atento a essa questão e que medidas, que possam evitar prejuízos aos trabalhadores, já foram tomadas.
A Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa), por sua vez, questiona a informação do Cieam, uma vez que toda movimentação de vitalidade das fábricas do PIM passam pela autarquia e, até o momento, não foi comunicada que houve suspensão total de atividades