Manaus, 26 de agosto de 2012 – A indústria estima contratar aproximadamente 8 mil trabalhadores temporários entre setembro e outubro para atender à demanda de fim de ano, apesar dos problemas gerados pela redução do consumo que esfriou a atividade e o emprego.
As indústrias já estão recebendo pedidos para o fim do ano e, portanto, se preparando para trabalhar em ritmo mais acelerado. “Basicamente os setores que vão contratar são Eletroeletrônico, Duas Rodas e componentista. O número gira em torno de 7% a 8% do total de trabalhadores fixos, daí chegamos nesse contingente de 8 mil temporários”, destacou.
O secretário do Sindicato dos Metalúrgicos do Amazonas (Sindimetal), Sidney Malaquias confirmou que há certa movimentação em torno da contratação de temporários. Segundo ele, uma empresa do setor de eletroeletrônicos contratou 300 pessoas nesse regime. “Isso começa geralmente a partir de setembro e se intensifica em outubro. Mas isso não passa pelo sindicato e quando vamos ver eles já contrataram”, disse Malaquias.
O secretário destacou que as contratações de temporários podem ser apenas na cadeia produtiva e maioria ocorre no chamado ‘chão de fábrica’, nas funções de montador, alimentador de linha de produção, e outras atividades mais básicas. Para Malaquias, esses trabalhadores provisórios precisam receber o mesmo piso salarial dos efetivos.
O sindicalista informa que nas linhas de componentes de placa, por exemplo, um temporário não deveria receber menos do que R$ 775, enquanto nas empresas de Duas Rodas, o piso é de R$ 915 e nas empresas de bens finais de eletroeletrônicos, o valor mínimo é de R$ 850.
“Nós gostaríamos que as pessoas fossem efetivadas. Não sei qual o ganho das empresas em contratar temporários. Sei que há certa economia, mas outros direitos como PLR (Participação de Lucros e Resultados) e assistência médica, tudo isso o temporário tem direito”, observou.
“Ficamos de olho, pois existem empresas que mandam trabalhadores embora e logo depois contratam temporários. Ficamos em cima dessas empresas, mas também isso foge do nosso controle”, completou.

Oferta de vagas é para atender ao aumento da produção para a demanda de fim de ano