Não podemos aceitar que empresas estrangeiras discriminem os trabalhadores do Amazonas.

O Polo Industrial de Manaus – PIM chegou à impressionantes marca das 1.800 demissões só em janeiro de 2013. A maioria dessas dispensas foi de trabalhadores com algum tipo de doença ocupacional ou por ter idade acima dos 35 anos. A denúncia é do presidente do Sindicato dos Metalúrgicos do Amazonas, Valdemir Santana, que está levando o caso ao Governo do Estado e à direção da Superintendência da Zona Franca de Manaus – Suframa, para que eles tomem providências.
Segundo Santana, demitir trabalhadores doentes é um ato de desobediência à Lei do Trabalho e dispensar pessoas só porque elas tem 35 anos ou mais, é uma discriminação, que deve ser combatida com o rigor da Lei.
Com a intenção de reduzir a folha de pagamento, os empresários do PIM terminam por demitir os maiores salários, “os velhos de 35 anos” e os doentes para contratar pessoas pela metade dos salários. “Essa atitude não é justificada, quando visto o volume de incentivos dados pelo Governo do Estado e Federal às indústrias do PIM”, calcula Santana.
“Os trabalhadores estão se qualificando, portanto, não vamos aceitar que empresários selvagens venham prejudicar a sociedade com a sua ganância discriminativa”, concluiu Valdemir.