Na onda de demissões ocorrida no Distrito Industrial, não foram só os temporários atingidos pela degola que só hoje, 12, já atingiu mais de 700 trabalhadores do Polo Industrial de Manaus – PIM, com entrada no setor de Homologações do Sindicato dos Metalúrgicos do Amazonas.
A Samsung da Amazônia mandou 230 trabalhadores para casa e já tem agendado mais 180 para a próxima sexta-feira, 14, ultrapassando a previsão do presidente do Sindicato dos Metalúrgicos, Valdemir Santana, que tinha contabilizado a dispensa de apenas 180 temporários. A Flex, Philco, Phillips, L.G., Nokia, pequenos estaleiros, Siemens e outras, completaram o número elevado de trabalhadores demitidos nessa quarta feira.
Boa parte dos trabalhadores da Samsung tinham seus contratos temporários firmados até o mês de abril de 2013. Com a dispensa antecipada, ficou caracterizado a quebra de contrato e a obrigatoriedade de pagamento de metade do saldo devedor.
A direção da Nokia não deu explicações sobre o motivo de ter contratado por tempo indeterminado sem ter passado pelo Sindicato e dispensado com comunicado de rescisão. Quando questionado pelo presidente do Sindicato, os diretores da Nokia afirmaram que eles tinham contratado 500 temporários com fim de contrato em Abril/2013, mas não souberam informar onde estava o documento que comprova a temporariedade dos trabalhadores. Se confirmado, a quebra de contrato, a empresa terá que pagar aviso prévio, férias, 13º salário e todos os benefícios previstos em Lei.
Santana disse que o Sindicato está orientando os trabalhadores a procurarem a Superintendência do Trabalho para reivindicar os seus direitos.

Os funcionários Klinger e Paulo, tiveram bastante trabalho na contabilização das homologações, no Sindicato.