Da porta de fábrica ao Plenário da Câmara Municipal de Manaus (CMM), Rosi Matos informou aos vereadores as reivindicações da Campanha dos Metalúrgicos.

Da porta de fábrica ao Plenário da Câmara Municipal de Manaus (CMM), Rosi Matos informou aos vereadores as reivindicações da Campanha dos Metalúrgicos.

A vereadora Rosi Matos (PT), reforçou a manifestação da diretoria do Sindicato dos Metalúrgicos, na porta da fábrica LG, no Distrito Industrial, para falar sobre a Campanha Salarial 2013 e a necessidade de intensificar as manifestações depois que os trabalhadores rejeitaram em assembleia geral, realizada na segunda-feira (29) a contraproposta dos empresários do PIM de apenas 5,5%.

Da porta de fábrica ao Plenário da Câmara Municipal de Manaus (CMM), Rosi Matos informou aos vereadores as reivindicações da Campanha dos Metalúrgicos, dentre as quais   estão os 17,5% de reajuste, (100% do INPC, mais 5% de aumento real e 5% de produtividade), o piso salarial de R$ 1.356; licença maternidade, 40 horas semanais, auxílio creche, alimentação de qualidade, serviço odontológico e a participação nos lucros e resultados (PLR).

A vereadora ressaltou que em 2012 as empresas do PIM faturaram R$ 39 bilhões de dólares, podendo alcançar R$ 48 bi em 2013 – 18,75% a mais.

Contraditoriamente, os salários dos trabalhadores já foram superiores a 3,5% do faturamento, na década de 1990 e, hoje, representa apenas 1,7% de todo o faturamento do polo industrial.

Ao pedir apoio dos vereadores à luta dos metalúrgicos, Rosi Matos enfatizou que os valores relativos aos salários e à PLR movimentam a economia da cidade de Manaus.