Secretária Especial de Políticas para as Mulheres da cidade de São Paulo, Denise Motta Dau, afirmou nesta quarta-feira (24), durante seminário de planejamento da secretaria da Mulher Trabalhadora da CUT, que a pasta manterá diálogo constante com os movimentos sociais.
Ex-dirigente cutista, Denise tratou do tema ao responder os questionamentos das lideranças presentes e garantiu que o diálogo será constante. Segundo ela, imediatamente será criado um fórum com participação dos movimentos sociais e, posteriormente, um conselho dos direitos da mulher, atrelado à Coordenadoria de Participação Social.

A secretária comentou também que o governo criará um banco de dados sobre violência contra a mulher, promoverá um programa de sensibilização preventiva junto aos jovens e uma casa de passagem para apoiar as mulheres vítimas de violência que precisam de ajuda imediata, mas não necessitem ficar em uma casa abrigo durante um longo período.

Ainda em resposta às perguntas, ela afirmou que o funcionalismo não será esquecido e que trabalhará num plano de equidade para dialogar com a demanda das servidoras.

Retomar as políticas para as mulheres – Denise Motta Dau fez aindaum resgate do surgimento da secretaria e lembrou que a ideia nasceu durante a campanha do então candidato, Fernando Haddad, que ficou sensibilizado com as denúncias de violência contra mulheres que ouviu nos bairros por onde passou.

Denise Motta Dau (com o microfone na mão) disse que o governo trabalhará para construir casas de passagem e banco de dados sobre violência contra mulher