Sindicatos de trabalhadores de comércio pedem à CUT, Presidente Valdemir Santana, e todos os sindicatos filiados, devido intransigência de empresários do setor comércio e serviços em negociar pauta da categoria.

Representantes dos sindicatos dos empregados nos seguimentos do comércio, turismo, supermercados e atacadista e hotelaria procuraram o apoio da opinião pública de  em razão dos sindicatos patronais se negarem a celebrar a Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) do seguimento, que hoje somam  mais de 130 mil trabalhadores no Amazonas

“Nós estamos há dois anos sem convenção e procuramos o apoio da Imprensa  para reforçar nossa luta e conseguir  negociar o reajuste do trabalhador”, informou a representante do sindicato dos empregados do comércio, Sra. Marlene Arguelles.

Segundo os dirigentes sindicais, apesar do pré-acordo na Secretaria do Trabalho (antigo  MTE) solicitando a concessão de reajuste de 4% sobre o piso da categoria, outras tentativas de negociações foram frustradas pelos empresários, que não  demonstram interesse em negociar as reivindicações dos trabalhadores, porque não havendo  concessão coletiva o piso salarial  fica congelado até se nivelar ao salário mínimo.

Na pauta dos representantes das empresas a proposta é retirar os benefícios:  adicional de quebra de caixa, unificar as funções para operacional da loja, retirada da gratificação de substituição, folga apenas após quatro domingos trabalhados, retirando o auxílio creche e funeral, plano de saúde, cesta básica e seguro de vida.

Ainda de acordo com os sindicalistas, os trabalhadores pretendem paralisar as atividades caso não ocorra as negociações até o final deste mês.

“Como representante dos trabalhadores, não podemos aceitar a postura intransigente dos patrões que se negam andar de mãos dadas com a categoria. Estamos nessa luta unidos por melhores condições de trabalho e salário, repudiamos esse ataque aos trabalhadores”, disse o presidente do sindicato dos trabalhadores em supermercado e Atacadista, Sr. Amarildo Rodrigues.

Paralização dia 22 de novembro!!!

Valdemir Santana, Presidente da Central Única dos Trabalhadores – CUT, falou que “participou de duas reuniões na Superintendência do Trabalho, junto com os representantes patronais e o mediador do Ministério do Trabalho, onde foi feito e assinado um acordo. Esses empresários não são sérios, pois não cumpriram o acordo, fazendo o representante do Ministério do Trabalho e os trabalhadores de ‘bobos’, então a solução que temos será a Paralização dia 22, para eles respeitarem os trabalhadores, lembrando que não são todos os empresários, são alguns, por isso convocamos a todos os dirigentes da CUT, e os Sindicatos para nesta data fazermos um protesto, por conta do desmando, de partes do setor do Comércio. ”