reajuste salarial sindicato dos metalurgicos do amazonasO Sindicato dos Metalúrgicos do Amazonas (Sindmetal) fechou, na segunda-feira (31), o último acordo de reajuste salarial que faltava para contemplar o aumento dos salários dos trabalhadores dos setores Metalúrgico, Magnético, Naval e Eletroeletrônico do Polo Industrial de Manaus (PIM).

Reajuste Salarial

De acordo com o presidente do Sindmetal, Valdemir Santana, a negociação não foi fácil porque o Sindicato Patronal não queria dar nenhum aumento para os trabalhadores, sendo esse o motivo a demora no fechamento dos acordos. “Eles não queriam dar nada para o trabalhador, porque não existe uma lei que os obrigue. Por isso, é importante a mobilização dos trabalhadores em conjunto com o sindicato”, revelou.

Santana disse que o Sindmetal foi o único sindicato do Brasil a conseguir o aumento real dos salários, enquanto os outros sindicatos estão fazendo o reajuste salarial em cima da inflação. Ele informou ainda que, além do aumento nos salários, o sindicato também conseguiu para os trabalhadores do PIM o aumento do valor do auxílio creche. “No setor metalúrgico, por exemplo, o valor do auxílio passou de R$ 400,00 para R$ 440,00, mais ou menos”, afirmou.

De acordo com o presidente, cerca de 70% dos trabalhadores do PIM terão os salários reajustados em 10,81%. Para 20% dos trabalhadores, o reajuste foi de 10% e para o restante, o percentual de reajuste do piso salarial ficou em 9,81%.

Acesse o acordo das categorias Metalúrgica e Eletrônica.

Piso e Reajuste – Categoria Metalúrgica

Piso e Reajuste – Categoria Eletrônica

Os acordos dos polos Naval e Magnético serão divulgados nos próximos dias.

Aumento está valendo desde 1º de agosto

O reajuste salarial entrou em vigor no dia 1º de agosto de 2015. Logo, as empresas terão que fazer um pagamento complementar ao empregados fazendo a descrição em folha de pagamento.

Aos trabalhadores que foram demitidos nesse período, Santana orientam que eles procurarem o setor de Recursos Humanos da empresa e solicitem uma rescisão complementar.

Caso a empresa não faça nenhuma dessas ações, o trabalhador deve informar o sindicato para que as medidas necessárias sejam tomadas.