A segunda maior fabricante de celulares do Brasil, a Flextrônics/Motorola, tem um cardápio regado a pão com margarina e mingau, todos os dias da semana, de segunda a segunda, dando a entender que deve ter uma sociedade com alguma padaria na cidade de Manaus.

A avaliação é do presidente do Sindicato dos Metalúrgicos do Amazonas (Sindmetal), Valdemir Santana, que está denunciando o descaso da empresa com os trabalhadores às autoridades do Ministério Público do Trabalho (MPT), no Estado. “Quando falta pão, eles servem salsichas, mas no cardápio apresentando para a fiscalização do sindicato e do MPT, tem até abóbora com salsa com suco Jacaré”, desdenha.

Valdemir diz que o faturamento da fabricante de celulares Motorola no Polo Industrial de Manaus (PIM) é de milhões de Dólares e que “é uma vergonha o tratamento que a empresa dá aos trabalhadores, tanto com a falta de área apropriada para a alimentação, quanto por servir refeições de péssima qualidade”.

Temporários

Assim como a P&G, LG e a Samsung, que já foram denunciadas anteriormente, a Flextrônics também tem abusado no número de contratações de mão-de-obra temporária, algo em torno de 600 trabalhadores sem direitos trabalhistas.

De acordo com Valdemir, essa é uma questão de dias para resolver esses abusos. “Nesse momento não podemos e não devemos parar essas fábricas, mas estamos chamando as autoridades para fiscalizar, tanto o Ministério do Trabalho quando o Ministério Público (MP) e Governo do Estado.

Conforme disse Santana, estas empresas estão ultrapassando os limites da Lei e devem ser responsabilizadas por isso. Ele também promete tornar público uma relação feita pelo Sindicato dos Metalúrgicos, apontando as empresas que estão burlando a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), as leis trabalhistas do Brasil, escancaradamente, como se fosse a coisa mais normal do mundo.

Entre elas, as coreanas, que a cada três meses substituem trabalhadores para não pagar os direitos trabalhistas.

A lista do pão da Flextronics:

Fonte: Correio da Amazônia