Os dirigentes sindicais do Sindmetal fizeram-se presentes na paralisação.

Os dirigentes sindicais do Sindmetal fizeram-se presentes na paralisação. Foto: Sindmetal

Em assembleia realizada pelo Sindicato dos Metalúrgicos do Amazonas (Sindmetal), nesta quarta-feira (20), em frente a Visteon Amazonas, os trabalhadores aprovaram o Estado de Greve caso a empresa não atenda suas reivindicações no que refere-se a assédio moral, PLR, alimentação, aumento de salário, desvio de função, creche e plano de saúde.

Cerca de 80% dos trabalhadores da empresas pararam suas atividades por uma hora e meia para ouvirem a proposta do sindicato.

Segundo o dirigente sindical, João Brandão, uma das principais propostas que o sindicato levará para a mesa de negociação é o aumento real de 5 a 10% do salário dos trabalhadores.

O presidente do sindicato, Valdemir Santana, acompanhado do dirigente sindical Sidney Malaquias, esteve nesta quinta-feira (21) reunido com a direção da Visteon.

Segundo Malaquias, a empresa vem descumprindo algumas cláusulas aprovadas na Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) como por exemplo a não extensão do plano de saúde para o companheiro ou companheira do trabalhador e o auxílio creche até 5 anos de idade, quando na CCT esse auxílio é para criança até 6 anos. “Se nós próximos dias a empresa não der um posicionamento sobre as reivindicações dos trabalhadores, o sindicato irá parar a fábrica e os trabalhadores entrarão em greve”, afirmou Malaquias.