Após conversa com a Central Única dos Trabalhadores (CUT-AM), a orientação dos sindicatos patronal das indústrias Naval, Eletroeletrônica, Magnética e Metalúrgicas era que as fábricas do Polo Industrial de Manaus (PIM), suspendessem as atividades nos seus parques industriais até que a cidade de Manaus voltasse à normalidade, depois da série de incidentes ocorridos desde a madrugada da última sexta-feira (04/06).

Mas a Samsung, a Positivo e outras menores do PIM, resolveram correr o risco e lançar os seus funcionários na ‘linha de tiro das facções’, no meio dos incidentes, na sua maioria envolvendo os ônibus que transportam trabalhadores para essas indústrias e nas linhas do urbano.

Publicidade

Para o presidente do Sindicato dos Metalúrgico do Amazonas, Valdemir Santana, essas empresas insistem em manter os turnos de trabalho justo quando a cidade passa pelo seu pior momento de segurança em todos os bairros e no Distrito Industrial.

Diante disso, Valdemir sugere que o vice-presidente da Samsung e o diretor da Positivo pegue os seus carros blindados e façam um passeio pela ‘linha vermelha’ para ver se eles são corajosos a esse ponto. “Eles não arriscam a suas vidas, mas a vida dos trabalhadores eles colocam em perigo”, acentua.

Responsabilidade

Para o presidente da CUT-AM, as empresas são responsáveis pelo que possa acontecer com os trabalhadores. “Enquanto o Estado não der garantia do ‘ir e vir’ à responsabilidade vai ser do vice-presidente e diretor dessas empresas”, apontou Santana, garantindo que eles pagarão por qualquer dano que possa acontecer com os trabalhadores.

O sindicalista prometeu divulgar os nomes dos diretores da Samsung e da Positivo caso aconteça algo de ruim com os trabalhadores.

 

“Era recomendação”

Conforme disse a assessoria da Samsung, eles “entenderam que era apenas uma recomendação” da Federação e dos Sindicatos Patronal, mesmo diante da grande repercussão que o caso ganhou na mídia local e nacional e eles vendo o perigo que é transitar em Manaus nesse período de instabilidade na segurança pública do Estado.

O entendimento que se tem da atitude da Samsung e da Positivo é: “desde que nenhum dos diretores, vice-presidentes das empresas Coreanas não sejam atingidos, pouco importa que um trabalhador perca a vida nos conflitos promovidos pelas facções na cidade de Manaus”.

Empresas que estão operando normalmente no 2º e 3º turno, hoje (07/06):

1 – Transire

2 – Elgin

3 – 3M

4 – LG

5 – Panasonic

6 – Salcomp

7 – P&G

“Todas elas passaram pelo crivo do Sindicato dos Metalúrgicos e das Federações, caso aconteça algum dano físico e de vida a um trabalhador que seja”, assegura Valdemir Santana.

 

Fonte: Correio da Amazônia