Greve da Receita causa retenção de insumos da indústria

A greve dos auditores fiscais da Receita Federal no Amazonas, além de provocar consequências para a economia local, penaliza o trabalhador do Pólo Industrial de Manaus – PIM, que terá que cumprir carga horária de 60 horas semanais, após o término da greve dos auditores fiscais.
Ontem à tarde, o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos do Amazonas, Valdemir Santana esteve conversando com diretores de algumas fábricas para definir a liberação do pessoal da linha de produção, sem prejuízo dos empregos. Valdemir disse que os trabalhadores vão compensar as horas de folga.
O presidente dos metalúrgicos informou que o setor de TV não tem mais estoque e depende da liberação de componentes na receita. Algumas indústrias tem insumos para mais uma semana. Quando zerar esse estoque, terá que dar folga remunerada aos trabalhador, mas na condição de que esses compensem no final da greve.
Situação um pouco melhor, está o setor de duas rodas, microondas e de ar condicionados, que tem estoque para mais três meses e não deve ser atingida pela falta de insumos.
A previsão é de que após a greve os trabalhadores terão uma carga horária de 60 horas semanais, para suprir a necessidade de produção das indústrias.