Nesta terça-feira (11), a LG informou a implantação de 150 novos postos de trabalho destinado ao Polo Industrial de Manaus (PIM). O projeto foi ampliado. Inicialmente, a fábrica havia decido por gerar apenas 68 empregos.

A decisão aconteceu 13 dias depois de o mesmo secretário especial de Produtividade, Emprego e Competitividade (Sepec) do Ministério da Economia, Carlos da Costa, ter retirado o projeto de ampliação da planta da LG Electronics da pauta do Conselho de Administração da Suframa.

O anúncio foi feito após série de reuniões entre os executivos da empresa para definirem as próximas medidas para investimentos na Zona Franca de Manaus. Os encontros tiveram a presença, além dos representantes da empresa, do presidente da Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (Fieam), Antônio Silva, e do secretário do Ministério da Economia, Carlos da Costa.

“Este é um projeto muito importante para o Polo Industrial de Manaus por mostrar o comprometimento da LG com o desenvolvimento do Amazonas”, afirmou o presidente da Fieam, Antônio Silva.

Para o secretário Carlos da Costa, o projeto acontece em um momento importante para a economia. “Entendemos a urgência de decisão sobre investimento da LG e eles entenderam a necessidade de criarmos mais empregos que os previstos inicialmente. Após conversas amistosas conseguimos viabilizar o projeto e criar um número maior de postos de trabalho. É uma vitória para a Zona Franca, indústria e para a LG”, comentou.

Os representantes da LG informaram que o diálogo com o governo federal foi fundamental para o projeto de geração de empregos na fábrica de Manaus. A empresa, que nasceu com 150 trabalhadores, hoje conta com mais de 2 mil pessoas em suas linhas de produção com tendência a aumentar esse número devido a quantidade de investimentos ainda por acontecerem.

Fonte: Correio da Amazônia