image.php

A Confederação Nacional dos Metalúrgicos da CUT (CNM/CUT) começou a articular um projeto de cunho internacional para a formação profissional de trabalhadores na indústria. A proposta da entidade é de que, com apoio da Organização Internacional do Trabalho (OIT), a IndustriALL Global Union (federação internacional dos trabalhadores no ramo industrial) seja uma das parceiras para viabilizar intercâmbio para formação de trabalhadores brasileiros, por intermédio de programa a ser construído pelas entidades sindicais cutistas com o Departamento Internacional do Serviço Nacional da Indústria (SENAI).

A informação é do secretário geral em exercício da CNM/CUT, Loricardo de Oliveira, que é conselheiro do SENAI. Ele afirmou que o assunto começou a ser discutido na última terça-feira (26), em uma reunião com o Departamento Internacional, da qual participaram representantes da Secretaria de Relações Internacionais da CUT e da IndustriALL (convidada para a reunião pela CNM/CUT). “Consideramos importante envolver as entidades sindicais na elaboração de programas formativos, para que nossas demandas sejam contempladas nesse processo “, explicou Loricardo, dizendo que também a CUT vai participar dessa articulação. Além de Loricardo, o metalúrgico do ABC José Roberto Silva (Bigodinho), que também integra o Conselho do SENAI, esteve na reunião.

Antes dessa reunião com o Departamento Internacional, o dirigente da CNM/CUT participou da reunião do Conselho do SENAI – que ocorreu nas segunda e terça-feira (25 e 26) – e contou que a bancada dos trabalhadores conseguiu tirar da pauta do encontro a criação do Comitê de Inovação e Tecnologia. “Os empresários queriam nos deixar fora do Comitê e nós questionamos essa postura, lembrando que, a exemplo dos outros fóruns, esse organismo também deve ser tripartite, com representação do governo, dos empresários e dos trabalhadores”, disse Oliveira, destacando que, em função dessa postura, o formato do Comitê será rediscutido.

Fonte: http://www.cnmcut.org.br