Dulce Sena: se mantiver o ritmo de fechamento de PLR confirmados até o mês de maio, a meta será cumprida com folga.

O Sindicato dos Metalúrgicos do Amazonas está caminhando para conseguir alcançar a meta dos R$ 200 Milhões de PLR (Plano de Lucros e Resultados), em 2013, proposto pelo seu presidente, Valdemir Santana, nos início das negociações em janeiro desse ano.

O objetivo pode ser alcançado com a entrada das novas empresas que ainda não tinham aderido ao pagamento desse benefício aos trabalhadores nas indústrias do Amazonas. Se o Sindicato atingir os R$ 200 Milhões de PLR em 2013, terá aí um aumento de 17% em relação a 2012, que fechou o ano com aproximadamente R$ 150 Milhões injetados na economia do Estado.

Para a diretora executiva dos Metalúrgicos do Amazonas, Dulce Sena, se mantiver o ritmo de fechamento de PLR confirmados até o mês de maio, a meta será cumprida com folga. Segundo ela, somente duas empresas do Distrito Industrial, Moto Honda da Amazônia e Samsung Eletrônica da Amazônia, representam o montante de R$ 44 Milhões de PLR.

De acordo com o presidente do Sindicato, Valdemir Santana, em termos gerais a Moto Honda paga aos seus funcionários até o 17º Salário. Ou seja, paga os dozes meses de salários base, mais o 13º, um abono anual e mais a PLR, que representa três salários. Somados, chega-se à marca dos 17 salários por ano. “Isso é uma conquista dos trabalhadores das indústrias do Polo Industrial de Manaus – PIM, com o apoio dos diretores do Sindicato”, destaca Valdemir.