Polo Industrial de Manaus – PIM: lugar de mais de 120 mil empregos e de muitos problemas para os trabalhadores, diz presidente dos Metalúrgicos, Valdemir Santana.

Depois de tanto falar, reunir com os diretores das fábricas do Polo Industrial de Manaus – PIM e não obter respostas, os presidente do Sindicato dos Metalúrgicos do Amazonas, Valdemir Santana, resolveu utilizar os canais de divulgação do Sindicato (o Site e o programa de rádio, com “A Verdade do Trabalhador”, na FM do Povo – 93.4, das 5h às 6h, de segunda a sexta feira), para mostrar ao trabalhador a má fé e falta de vontade dos empresários em resolver as pendências trabalhistas e da Convenção Coletiva de Trabalho – CCT.

Disparando para todos os lados, Valdemir relacionou as indústrias que mais causam problemas para o Sindicato e à Justiça do Trabalho e, leva ao conhecimento dos trabalhadores, quais e o que as empresas estão fazendo para dificultar a vida dos seus funcionários.

São Elas:

– TP Vídeo – Usando de má fé, está demitindo ex-funcionários da Phillips da Amazônia para contratar outros trabalhadores por salários menores. Intenção: reduzir o valor da folha e aumentar o seu lucro líquido.

– Moto Honda da Amazônia – Está usando do mesmo expediente para reduzir a sua folha de pagamento. Ou seja, demite os antigos e contrata gente nova por salários menores.

– Salcomp da Amazônia – Aprendeu o mau exemplo da Honda e a TP Vídeo. Ela entrou na manobra da redução de salários e está demitindo em massa, os trabalhadores antigos e ao mesmo tempo, contratando novos.

– Volt – A fabricante de turbina está praticando desvio de função. Trabalha aos domingos pagando hora extra, mas não dá folga aos seus funcionários, como manda a CLT e a CCT.

– Evadin Indústrias Amazônia S/A – Foi mais longe que as outras, além das falhas rotineiras, ela ainda pratica uma das mais graves afrontas à CLT, que é contratar sem assinar a carteira de trabalho. O Sindicato está esperando a SRT fazer uma fiscalização para se manifestar sobre o assunto.

– Siemens Eletroeletrônica – Indústria – Não estão pagando o piso salarial conforme firmado pela CCT 2012/2013. Usando de má fé, sempre procuram um jeito de reduzir o salário do trabalhador.

– HDL da Amazônia Ind e Comércio – Está passando pela mesma situação de descumprimento da CCT. Reduzindo salário o quanto pode.

 – Flex Indústria de Máquinas e Motores da Amazônia – A empresa não está cumprindo a CCT relativo à Assistência Médica dos trabalhadores.

 – Qualitech Indústria Eletrônico – Manaus – Não está dando assistência médica e nem creches para os filhos dos seus funcionários.

 – GBR Componentes da Amazônia – Por mais que o Sindicato tenha cobrado dos diretores, eles não estão dando assistência médica para os trabalhadores e seus dependentes.

 – Eastern Asia Unicoba Eletrônics da Amazônia – Até hoje não se dispôs a disponibilizar creches para os filhos dos trabalhadores.

 – Semp Toshiba da Amazônia – assim como a Unicoba, está fazendo “ouvido de mercador” aos apelos da diretoria do Sindicato, no cumprimento da CCT. A empresa não dá creches para os filhos dos trabalhadores e, ainda pior, está servindo alimentação de péssima qualidade e ambiente sem a higiene recomendada pela Anvisa.

 – Jabil Industrial do Brasil Ltda (Amazonas) – Está dando um “presente de grego” aos trabalhadores. Criou um horário para ginástica laboral e de descontração para os seus trabalhadores, mas ao mesmo tempo, ampliou a jornada em mais 20 minutos/dia. A intenção da empresa é compensar o tempo gasto nos exercícios físicos realizados no ambiente de trabalho.

 Diante de tantas irregularidades praticadas nos ambientes das fábricas do Polo Industrial de Manaus – PIM, o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos do Amazonas, Valdemir Santana, resolveu notificar todas elas junto ao MPT e às SRT e, simultaneamente fazer uma ação jurídica e política capaz de solucionar os problemas citados acima.